e-Zap! Seu cantinho 'zap' na net

Confusão militar

Venho por intermédio desta, pedir a minha dispensa do serviço militar.
A razão para isso é bastante complexa e tentarei explicar em detalhes.
Meu pai e eu moramos juntos e possuímos um rádio e uma televisão.
Meu pai é viúvo e eu solteiro.
No andar de baixo, moram uma viúva e sua filha, ambas muito bonitas e sem rádio e nem televisão.
O rádio e a televisão fez com que nossas famílias ficassem mais próximas.
Eu me apaixonei pela viúva e casei com ela.
Meu pai se apaixonou pela filha e também se casou com esta .
Neste momento, começou a confusão.

A filha da minha esposa, a qual casou com meu pai, é agora a minha madrasta.
Ao mesmo tempo, porque eu casei com a mãe, a filha dela também é minha filha (enteada).
Além disso, meu pai se tornou o genro da minha esposa e minha esposa é sogra do meu pai.
A minha esposa ganhou recentemente um filho que é irmão da minha madrasta.
Portanto, a minha madrasta também é a avó do meu filho, além de ser seu irmão.
A jovem esposa do meu pai é minha mãe (madrasta), e o seu filho ficou sendo
o meu irmão.

Meu filho é então o tio do meu neto, porque o meu filho é irmão da minha filha (enteada).
Eu sou, como marido de sua avó, seu avô.
Portanto, sou o avô de meu irmão.
Mas como o avô do meu irmão também é o meu avô, conclui-se que eu sou o avô de mim mesmo.
Portanto, Senhor Oficial, eu peço dispensa do serviço militar baseado no fato de que a lei não permite que avô, pai e filho sirvam ao mesmo tempo.
Em caso de dúvida, releia o texto várias vezes ou tente desenhar um gráfico para constatar que o meu argumento realmente está inteiramente correto.
Atenciosamente,

Anônimo

* Dizem que o sargento que recebeu este texto ficou profundamente comovido e se matou.

 

(Des)Classificados

Olhando assim, nenhum problema. Agora, imagine o narrador da Sessão da Tarde falando:

"E esse mecânico da pesada vai aprontar altas confusões numa oficina do barulho!"

 

Outro anúncio nada suspeito. Mas pensando bem, alguém que precise ser aprendiz de auxiliar deve ser deprimido demais para ler jornal e procurar emprego...

Aff, esse mercado de trabalho...